1. PLANÍCIE COSTEIRA

    O litoral sul-brasileiro que se alonga desde o Rio Araranguá até o Rio Tramandaí tem uma estrutura geográfica peculiar. Compreende-la, ajuda a melhor explicar o futuro desenvolvimento humano aí estabelecido, inclusive a formação de uma fronteira entre dois estados. Trata-se de uma faixa de mais de 160 km de extensão, comprimida entre o oceano aberto ( a leste ) e a escarpa íngreme da serra geral        ( a oeste ). Dá logo a idéia de um comprido corredor, dimensão de cinco por um, pois sua largura média anda pelos 30 km. Nessa pouca largura escalonan-se altitudes desde o nível zero até superiores a mil metros, o que explica sua variabilidade ecológica e seu alinhamento em cintas sucessivas, dispostas ao comprido, de nordeste a sudoeste.
    Três são as estruturas básicas aí alinhadas a partir do mar: (a) a planície costeira; (b) os morros do interior; (c) a escarpa do planalto;. Cada uma delas teve desempenho próprio na história da região. A primeira será explicada no presente item seguinte.

    ( A ) A PLANÍCIE COSTEIRA parece ter exercido o papel inicial na penetração humana na região, seja quanto aos índios, seja depois, aos brancos. É quase totalmente chã e composta de areia de disposição geológica recente ( cenozóico ), não atingindo senão escassos metros acima do nível do mar. Compreende aproximadamente a primeira terça parte da largura total da região.


VOLTAR

Copyright By
WebMaster
Hilton Luiz Ache Garcez
garcez@portoalegrense.com.br